Indústria 4.0 – Já sabe o que é?

PorJoão Carlos Pinto Correia

Indústria 4.0 – Já sabe o que é?

Indústria 4.0 diz-lhe alguma coisa? O ritmo da mudança é galopante com o advento das novas tecnologias e o contributo da programação. Se pensa que a indústria não acompanha esta tendência então não aprendeu nada sobre a História.

Indústria 4.0

A Indústria 4.0 ou a também apelidada de Quarta Revolução Industrial é uma expressão que traz em si a ideia das Fábricas Inteligentes. Na sua base estão a automação e a troca de dados bem como os sistemas ciber-físicos, a IoT e a Cloud.

Antes de mais, é muito importante que esteja familiarizado com o conceito de IoT (internet das coisas). É possível que já comunique com este conceito na prática no quotidiano mas é importante que o estude para o compreender. Ora, a indústria 4.0 mais não é do que a aplicação da IoT ao setor produtivo e é também designada como IIoT (Industrial Internet of Things).

A Indústria 4.0 já está a revolucionar os processos produtivos pois contém vantagens desde logo evidentes:

  • Permite a aquisição e acessibilidade a uma grande quantidade de dados;
  • Maior velocidade de produção;
  • Eficiência no processo produtivo;

Muitas empresas começaram já a aderir à Indústria 4.0, implementando dispositivos inteligentes no seu processo produtivo e criando conexões entre eles.

Benefícios Evidentes

Por detrás da Indústria 4.0 estão vantagens evidentes que nem todas as pessoas ainda conseguiram ver. Em Portugal é essencial que o tecido económico se altere e é por esse motivo que existem já apoios estatais neste âmbito.

Com a Indústria 4.0 será possível às empresas do setor produtivo:

  • Aumentar a conetividade entre dispositivos e entre a fábrica e o exterior;
  • Incrementar os níveis de eficiência de máquinas, de processos e também de trabalhadores;
  • Obter ganhos de escala no processo produtivo na medida em que maximiza a produção;
  • Desenvolver economia de tempo ou seja, elimina-se o desperdício deste fator o que gera produtividade;
  • Redução de Custos já que todos os processos estão otimizados;

Aliás, em matéria de redução de custos, ela ocorre por via da maximização do processo produtivo mas mais ainda pela criação de um sistema de manutenção preditiva dos equipamentos, segurança reforçada e outras eficiências operacionais (gastos de energia, desperdícios, etc.).

O elevado nível de conexão permite quebrar barreiras. Trabalhadores, dados e processos estão em sintonia e ligados entre si. Ao mesmo tempo, os gestores passam a ter uma visão mais completa e alargada do seu negócio assim tomando melhores decisões.

Os Desafios da Indústria 4.0

Na minha opinião, há dois grandes desafios para a IIoT.

Em primeiro lugar está a interoperabilidade entre sistemas. Neste momento conheço dois protocolos (OPC-UA e o MQTT) mas sei que não são os únicos. A própria arquitetura dos sistemas nem sempre é semelhante. Isto gera problemas de conectividade e põe em causa uma das grandes vantagens da Indústria 4.0.

Em segundo lugar, a questão da segurança. Todos nós nos recordamos da forma como o SCADA foi permeável a ataques informáticos. Ora, num espaço onde se desenvolve um processo produtivo, a questão da segurança é fundamental, quer para garantir a segurança das pessoas quer, no fundo, para assegurar a segurança de bens, do ambiente e das estruturas. Estamos pois a falar de sistemas que têm de ser muito resilientes pois as consequências de falhas podem ser desastrosas.

Ao mesmo tempo, a segurança dos próprios dados é essencial. Já imaginou se estes dados chegam a um concorrente? Eles podem criar uma vantagem competitiva ou assegurar o conhecimento de vulnerabilidades. Isto não é desejável pelo que a aposta na segurança tem de ser primacial.

O Futuro da Indústria 4.0

A Indústria 4.0 é considerada como uma das principais tendências atuais que, consequentemente, irá afetar o setor produtivo no futuro. Desta forma, as empresas do setor produtivo estão já sob a pressão de alterarem o seu paradigma. Essa alteração passa pela  modernização de sistemas e equipamentos, compliance com a regulamentação existente, acompanhamento da velocidade e volatilidade do mercado e análise das tecnologias disruptivas que surgem.

É inegável que as empresas com que já contactei experimentaram melhorias significativas em termos de segurança, eficiência e lucro. Esta é uma tendência que irá continuar com a maior adoção das tecnologias IIoT.

Em face destes fatores é de concluir por alterações no mercado de trabalho. A modernização dos sistemas produtivos conduzirá igualmente a uma diminuição da necessidade de mão-de-obra. Por conseguinte, os trabalhadores terão de ser mais especializados em áreas-chave, ter conhecimentos de programação e assistir-se-á a uma redução das horas de trabalho por via do aumento da produtividade e da eficiência.

Aproveite para ler o nosso artigo sobre a aplicação das IoT à agricultura. Qualquer processo produtivo pode beneficiar com a IoT havendo larga margem para a criatividade.

Imagem: Crystal Kwok

Sobre o autor

João Carlos Pinto Correia administrator

João Carlos Pinto Correia. Formador (CCP n.º F608236/2013), Advogado e Consultor de Empresas. Licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Pós-Graduado em Gestão Fiscal pelo Instituto Superior de Gestão e em Cibercriminalidade pelo Instituto CRIAP.

Deixar uma resposta

Gostou do Site? Por favor Partilhe!

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn